Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nu descontexto

Neste tão vasto espaço recomeço as minhas histórias, as imagens e mensagens que passam por mim. Desejo partilhar este blog com quem quiser dispensar um pouco do seu tempo para amar comigo tudo.

Nu descontexto

Neste tão vasto espaço recomeço as minhas histórias, as imagens e mensagens que passam por mim. Desejo partilhar este blog com quem quiser dispensar um pouco do seu tempo para amar comigo tudo.

A minha avó

Gosto de escrever sobre o que vejo, sinto e saboreio da vida. Amo criar mundos paralelos ao meu, pessoas que não existem senão nas minhas historias. Ou falar das que me marcam e que eu amo incondicionalmente. Esta Senhora é uma delas.  Podia ser uma criadora de gatos, no seu croché toda a tarde e no chá pela noite adentro. Mas não! Recusasse a incorporar os dias que por ela já passaram, marcados na sua pele, e oferece aos outros momentos tão impares de bem-estar, que só podia ser mencionada no meu blog. Assina a minha vida com lápis coloridos e faz desenhos tão puros e de uma fantasia irreal que todos os dias me obriga, como uma droga, a conhecer um. A sentir na minha pele aqueles rabiscos tão cheios de sabedoria e narrações conhecedoras da crueldade, mas também da beleza do mundo. É especial. Linda. Conheço-lhe os seus gestos e os gostos. Talvez tenha noutra vida sido mesmo sua neta, como o desejo. É uma lutadora, provavelmente este é o conjunto de letras que melhor a define. Mas são tantas as suas peculiares características e tão fascinantes! Não tenho vocabulário suficientemente sofisticado para a descrever. É parte da família que escolhi ou me escolheu, não sei. O universo é tão perverso que pôs no mundo duas almas tão semelhantes. Uma diz "mata" a outra "esfola".  No fundo isto tudo para agradecer o quanto sou feliz por a ter na minha vida. Por podermos engordar juntas, como só nos sabemos. Que seja assim por muitos anos, avó.

image.jpg

 

8 comentários

Comentar post