Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Nu descontexto

Neste tão vasto espaço recomeço as minhas histórias, as imagens e mensagens que passam por mim. Desejo partilhar este blog com quem quiser dispensar um pouco do seu tempo para amar comigo tudo.

Nu descontexto

Neste tão vasto espaço recomeço as minhas histórias, as imagens e mensagens que passam por mim. Desejo partilhar este blog com quem quiser dispensar um pouco do seu tempo para amar comigo tudo.

Ao meu Pai

Dia do meu pai, cliché, são todos os dias. Os que acordo com uma chamada dele a perguntar-me como estou, que recordo o seu sorriso envergonhado, que lhe pergunto como correu o seu dia de trabalho. Dia do pai, é claramente, mais um dia dele. Como tantos outros, pai, que te trago comigo.

Da minha infância tenho presente o seu colo a ajudar-me a beber água num bebedouro maior que os meus centímentros, com um balão agarrado ao meu pulso. E a sua força para que eu não voasse de perto dele, entrelaçada aquela bola de ar!

Como se esforça para que eu não voe do meu percurso. Sei pai, que rezas por mim, para que seja mais que boa menina, seja feliz. E nem sabes, como ver-te hoje, ontem, ou amanhã faz de mim um ser afortunado.

Tu sabes quem és e o que significas na minha vida, mas o que ninguém sabe é que apesar de não te ter escolhido (nem tu a mim) és a melhor pessoa que conheço. A tua vida é baseada em tolerância, amizade, carinho, amor e tantas outras palavras bonitas que não sei transcrever da minha alma para este tão humilde blog.

Amo-te pai. Desde sempre e sei que esse amor é desmedido, impossivel de se quantificar, qualificar ou modificar. Sem ti perco o "ar" das palavras e não sou tanto. Contigo sou mais.

Mais filha, mais mulher, mais irmã, mais namorada, mais e mais e mais, tanto mais que me torno.

Fica com este texto simples, como homenagem ao homem simples mas grande que és.

Até já papito.